Diagnóstico precoce contra câncer de próstata é única chance de cura possível.

Se outubro é dedicado à saúde delas, em novembro, é a vez deles. O penúltimo mês do ano é marcado pela cor azul e pela conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do cancro de próstata. As diversas ações envolvem divulgação sobre a enfermidade, como palestras e campanhas para a realização do exame físico, ou de toque, e do se sangue. No Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens — atrás apenas do de pele. Em valores absolutos e considerando ambos os sexos, é o segundo tipo mais comum.

De acordo com o urologista e diretor técnico do Hospital Urológico de Brasília Dr. Geovani de Assis Pinheiro o diagnóstico precoce, realizado com o exame do toque retal e com a dosagem do PSA no sangue, é essencial para a cura. “A maioria dos cânceres de próstata cresce lentamente e não causa sintomas no início, mas tumores em estágio mais avançado podem causar dificuldades para urinar, sensação de não conseguir esvaziar completamente a bexiga, presença de sangue na urina e, em alguns casos, dor óssea na região das costas”, esclarece. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir a um especialista para fazer as análises. “Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal”, ressalta Pinheiro.

A ressonância magnética multiparamétrica da próstata contribui na avaliação prostática, aumentando a detecção de neoplasias, principalmente dos tumores mais agressivos e que são de maior importância clínica, o que é primordial para detecção de lesões suspeitas, também servindo para estadiar, ou seja, determinar sua extensão e avaliar o quanto a lesão está restrita à próstata ou se ela vai além, invadindo outras estruturas adjacentes. “Com a ressonância magnética, produzimos imagens anatômicas e funcionais, desta forma conseguimos encontrar e localizar as lesões da próstata e, com isso, viabilizar a biópsia dirigida da área suspeita, ampliando assim as chances de um resultado positivo. Este exame também é muito eficaz no diagnóstico de recidiva neoplásica, ou seja, pacientes já tratados e que evoluem com aumento dos valores de PSA”, explica o Dr. Philipe Cavalcanti, da Perfecta Diagnóstico por Imagem.

Uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, em 2015, mostrou que os homens também são mais relapsos quando se trata de simples consultas.  Cerca de um terço, 31%,  ainda não tinha o hábito de ir ao médico. Desses, 55%, ou seja, mais da metade, afirmaram que não precisavam. O oftalmologista do Visão Hospital de Olhos, Dr. Tarciso Schirmbeck, ressalta a importância de frequentar clínicas oftalmológicas anualmente. “É recomendado que todo mundo, independente da idade e de algum sintoma perceptível, consulte um especialista, pelo menos, uma vez ao ano.

Quanto mais cedo o diagnóstico, mais eficaz é o tratamento para os possíveis problemas oculares, como glaucoma e retinopatias”, argumenta. Entre as doenças oftalmológicas, uma em especial acomete mais o sexo masculino: a serosa central que acomete homens com idade entre 20 e 40 anos. A patologia surge devido ao enfraquecimento de uma membrana localizada abaixo da retina, fazendo com que o líquido dos vasos sanguíneos escape formando bolhas. Essas protuberâncias elevam a camada superficial da retina e provoca o deslocamento do foco da região central, local em que está localizada a mácula. “Não há jeito mais fácil tratar uma patologia dessas que não seja por meio de um acompanhamento primário, ou seja, logo no surgimento dela”, destaca Schirmbeck.

Outra enfermidade que afeta mais aos homens é a apneia do sono. Nela, o paciente apresenta ronco, irritabilidade e sonolência, dores de cabeça, boca seca, dificuldade de concentração, ganho de peso e problemas cardíacos. “A apneia que causa o ronco forte e irregular não prejudica apenas a qualidade do sono. Ela também pode ser uma das responsáveis pela impotência sexual. Isso porque, por ser um fenômeno ligado à circulação do sangue nos vasos, a ereção tende a ficar prejudicada” explica José Stenio Ponte Dias Filho, otorrinolaringologista responsável técnico da Otorrino DF. Ainda segundo o médico, cerca de 24% dos homens acima dos 30 anos apresentam a doença. “Para identificar, o primeiro passo é fazer a polissonografia, exame que avalia as diversas fases do sono”, esclarece.

Amigos da Saúde

Para proteger os pacientes e profissionais de saúde da infecção pelo COVID-19, os Amigos da Saúde adotaram um Guia de procedimentos, o POP (Procedimento Operacional Padronizado), no ar desde o início do projeto, O POP Amigos da Saúde visa padronizar as ações de proteção, segurança e responsabilidade com a saúde dos pacientes e profissionais da área. A parceria entre o Hospital Urológico de Brasília, a Perfecta Diagnóstico por Imagem, a Otorrino DF e o Visão Hospital de Olhos leva qualidade aliada a protocolos de segurança a todos os brasilienses.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>